8.4.09

Modelo dos Oito Circuitos Cerebrais - parte 00002  

0 x23 comentários

Vamos tentar entender principalmente a perspectiva do Dr. Leary a respeito desses mistérios. Apesar desse texto ser um remix de composto por alguns artigos de autores diversos.


I. O CIRCUITO DA BIO-SOBREVIVÊNCIA

Este cérebro invertebrado foi o primeiro a evoluir (2 a 3 bilhões de anos atrás) e é o primeiro ativado quando a criança humana nasce. A impressão desse circuito condiciona a atitude básica de confiança ou suspeita a qual sempre afetará os gatilhos de aproximação ou esquiva.

Fixações: comida, abrigo, auto-preservação, bens materiais, segurança.
Positivo: “Irei viver para sempre ou morrer tentando.”
Negativo: “Não sei como me defender.”
Local de imprint: Sist. Límbico e Sist. Nervoso Autônomo.
Em Freud: Oral – ID Em Jung: Sensação
Droga de ativação: Opióides (Morfina, Heroína...)


II. O CIRCUITO EMOCIONAL

Esse segundo bio-computador, um pouco mais avançado, formou-se quando os vertebrado apareceram e começaram a competir por território (talvez 500.000.000 AC). Novamente a primeira impressão desse circuito permanece constante pela vida inteira (exceto quando eliminado por lavagem cerebral) e identifica os estímulos aos quais engatilhará comportamentos dominantes/agressivos ou submissivos/cooperativos. Quando dizemos que uma pessoa está se comportando emocionalmente, egoisticamente ou 'como uma criança de dois anos', estamos querendo dizer que ele/a está seguindo cegamente um dos túneis-realidadel impressos nesses circuito.

Fixações: auto-defesa, territorialidade, status, ego forte, honestidade emocional.
Positivo: “Eu sou livre, você é livre; nós podemos ter nossas viagens separadas ou podemos ter a mesma viagem.”
Negativo: “Todos eles me intimidam.”
Local de imprint: Tálamo e músculos.
Em Freud: Anal – EGO Em Jung: Sentimento
Droga de ativação: Álcool


III. O CIRCUITO SEMÂNTICO

Esse terceiro cérebro se formou quando os hominídeos começaram a se diferenciar dos outros primatas (cerca de 4 a 5 milhões de anos atrás) e é ativado pelas funções lineares do lóbulo esquerdo do cérebro, determina nossos padrões convencionais de manufatura de artefatos e pensamento conceitual. Esta é a terceira "mente" circuito.

Não é por acidente portanto que nossa lógica (e nosso desenvolvimento de computadores) siga a estrutura binária desses circuitos. Não é acidente que nossa geometria, até o século passado, tenha sido Euclidiana. A geometria de Euclides, a lógica de Aristóteles e a física de Newton são meta-programas sintetizando e generalizando as programações para frente/para trás do primeiro cérebro, para baixo/para cima do segundo cérebro e esquerda/direita do terceiro cérebro.

Fixações: resolução de problemas, mapeamento, tecnologia, linguistica, teoria de sistemas.
Positivo: “Estou aprendendo mais sobre tudo, incluindo como aprender mais.”
Negativo: “Eu não consigo resolver meus problemas.”
Local de imprint: Córtex Esquerda e mão direita.
Em Freud: Latência - circuito ignorado. Em Jung: Razão
Droga de ativação: Estimulantes (cocaína, anfetamina, café...)


IV. O CIRCUITO SEXUAL/SOCIAL

O quarto cérebro, lidando com as transmissões de cultura étnica ou tribal através das gerações, introduz a quarta dimensão, tempo. Já que cada um desses túneis-realidade consiste de impressões bioquímicas ou matrizes no sistema nervoso, cada uma delas e especificamente acionada por neurotransmissores e outras drogas.

Fixações: pertencer, amizade, domesticação, identidade tribal e
sexual, código de ética.
Positivo: “Ame, e faça a sua própria vontade.”
Negativo: “Tudo o que eu gosto, é ilegal, imoral ou engorda.”
Local de imprint: Néo-Córtex direita, seios e genitália.
Em Freud: SUPER-EGO Parental / Papel Sexual Em Jung: Ignorado
Droga de ativação: não sintetizada, hormônios.


Mas todo esse robotismo Pavloviano/Skinneriano muda drasticamente e dramaticamente quando nos viramos para o lóbulo direito, os circuitos futuros e os químicos extraterrestres. Os quatro futuros "cérebros" são:



V. O CIRCUITO NEUROSSOMÁTICO

Quando esses quinto "corpo-cérebro" é ativado, configurações planas Euclidianas explodem multi-dimensionalmente. Mudança gestalt, nos termos de McLuhan, do ESPAÇO VISUAL linear para um todo-penetrante ESPAÇO SENSÓRIO. Uma excitação hedonística ocorre, uma surpresa extasiante, um desprendimento dos mecanismos compulsivos dos primeiros quatro circuitos. Eu acionei esses circuitos com maconha e Tantra.


QUEDA LIVRE, NO MOMENTO EVOLUCIONÁRIO CORRETO, ACIONA A MUTAÇÃO NEUROSSOMÁTICA, crê Leary. A princípio essa mutação foi alcançada "artificialmente" por treinamento yogico ou xamânico ou pelo estimulante do quinto circuito, a cannabis. Surfar, esquiar, mergulhar e a nova cultura sexual (massagem sensual, vibradores, arte Tântrica importada, etc.) evoluíram ao mesmo tempo como parte de uma conquista hedonista da gravidade. O estado "Ligado" é sempre descrito como "flutuante", ou na metáfora Zen, "um pé acima do chão."


Particularidade: comunicação com a natureza, sabedoria do corpo, tantra (yoga, meditação, rituais), carisma, se apaixonar (endorfinas).
Positivo: “Como eu me sinto depende do meu knowhow neurológico.”
Negativo: “Eu não posso mudar o que eu sinto.”
Choque: Êxctase e felicidade (ausência do sofrimento).
Drogas de Ativação: Maconha e Hatha Yoga e Tantra
.


VI. O CIRCUITO NEUROELÉTRICO

No sexto cérebro o sistema nervoso se torna consciente de si mesmo como separado de mapas de realidade gravitacionais (circuitos I-IV) e mesmo separado do êxtase-corporal (circuito V). O semantista Conde Korzybski, chama este estado de "consciência da abstração." O Dr. John Lilly chama ele "metaprogramação", i.e., consciência de programar a própria programação.

Essa conteligência (consciência-inteligência) Einsteiniana relativística reconhece, por exemplo, que os mapas da realidade Euclideanos, Aristotélicos e Neutonianos são somente três entre bilhões de possíveis programas ou modelos para a experiência.


O Circuito VI é o "tradutor universal" muitas vezes imaginado pelos escritores de ficção científica, já embutido em nossos cérebros pela fita de DNA. Da mesma forma eu os circuitos da borboleta futura já estão embutidos na lagarta.

Particularidade: a luz do corpo, percepção direta da intuição, clarividência e outros processos psíquicos, magia sexual, seleção da realidade, neuro-relativismo.
Positivo: “Eu faço minhas próprias conincidencias, sincronicidades, sorte e destino.”
Negativo: “Por que eu tenho tanto azar?”.
Choque: da incerteza (ausência de atitudes falsamente assumidas).
Drogas de Ativação: Mescalina (Peyote) e psilocybin (Cogumelo).

VII. O CIRCUITO NEUROGENÉTICO

Contém os “eus” e bancos de informação de todos os seres vivos. Na terminologia de Stanislav Grof seria o “inconsciente filogenético” e, dentro da terminologia científica, corresponde ao modelo de Rupert Sheldrake dos “campos morfogenéticos”. Grof e Jung assumiram que a informação não está localizada no eu, mas sim, no gene. Já R. Sheldrake, um biólogo, sugeriu que os genes não poderiam carregar tal informação. Ele descreveu um campo não localizado, e chamou-o de Campo Morfogenético. Esse campo comunica-se com os genes, mas não está neles, e conteria não apenas as memórias do passado, mas também as trajetórias em direção ao futuro, por mostrar-nos os registros das mutações do passado. Tal Circuito ativa os arquivos genéticos, permitindo-nos entrar em contato com os arquétipos primitivos “muito mais antigos que a linguagem e ainda assim, mais novos que o amanhã”.

Particularidade: memórias ancestrais e de vidas passadas, reinos de arquétipos autônomos, persistência da sincronicidade, mente planetária (Gaia), consciência cósmica, o inconsciente coletivo.
Positivo: “O Futuro da evolução depende das minhas decisões no agora.”
Negativo: “Evolução é cega e impessoal.”
Choque: ausência da consciência dualistica.
Drogas de ativação: LSD
.


VIII. O CIRCUITO QUANTICO NÃO LOCAL

Cada partícula do Universo está em comunicação instantânea com todas as outras partículas; não existem sistemas isolados. O sistema inteiro funciona como um todo. Essa ligação acontece através da consciência de nossa própria identidade para com o todo. Tal conceito deixa de ser simplesmente teórico quando o oitavo Circuito surge; ele passa a ser sentido como realidade constantemente.

Particularidade: experiências de quase morte, mistério da singularidade, sonhos lúcidos, comunicação com o vazio.
Positivo: “Na povíncia da mente, o que é acreditado ser verdade é verdade ou se torna verdade dentro de certos limites a serem aprendidos pela experiência e experimentação.”
Negativo: “Eu não sou psíquico e dúvido que alguém seja.”
Choque: Impermanência (ausência do sono amnésico de 'viver para sempre').
Droga de ativação: Ketamina
.


É importante observar que um imprint negativo no circuito neurossomático pode levar o programador a resultados desastrosos. Outro problema relacionado a esse circuito ocorre quando Hippies e Yogis são fortemente imprintados nele, e se tornam impetuosos oponentes da evolução extra-terrestre. Os critérios mais comuns para a resistência aos planos práticos da migração interestelar são:
a) Viagem astral - mudança passiva da consciência vai nos transportar para a terra prometida.
b) Retorne a natureza - De volta ao paleolítico! Simplicidade, negação da tecnologia, confiar na sabedoria do corpo, prazer sensorial e pureza do organismo.
c) Unicidade - Exo-psicologia e neurogenética são artificiais, tentativas elitistas de negações ao budismo, hinduísmo.

“May the farce be with you and the Buddha too!”

Links para esta postagem

Related Posts with Thumbnails