3.2.09

quer um cerebro melhor?  

2 x23 comentários

A parada é,
por muuuito tempo todo mundo via o cérebro como uma parada que depois da formação básica só podia se deteriorar.
Parada estática, sem progresso, se tu fuma maconha nunca mais irá repor aqueles neurônios.

Mas não!

Maluco, o cérebro é flexível, tanto é capaz de "produzir" mais neurônios, como desenvolver partes específicas.
Por mais que o cérebro não seja um músculo, ele funciona como um.

Ou seja,
Se você não o usa ele fica fraco, murcho, inútil, assim como o paradigma socio-sexual atual faz com seu... tornozelo.




5 coisas que estimulam o desenvolvimento do cérebro:





1ª,
Malabarismo


Depois de experimentos com 23 cobaias, pesquisadores alemães publicaram na Nature sobre como o cérebro pode se desenvolver com a prática de... malabarismo!
Eles dividiram as cobaias em dois grupos.
Por três meses, um grupo aprendeu a malabarizar. Não se sabe o quanto se amarram nisso, mas em três meses, ressonâncias magnéticas mostraram que o volume e a densidade de seus cérebros em áreas associadas à visão e coordenação motora cresceram.
E o foco da pesquisa era a estrutura do cérebro, não a atividade em si.

O grupo que não fez a atividade não mudou. A má notícia? 3 meses depois sem praticar, o grupo malabarista perdeu seus ganhos. Os pesquisadores não estão certos do período de treino necessário para não se perder o desenvolvimento conquistado. Até que mais evidências sejam coletadas, podemos chamar isso de desenvolvimento "use ou perca", demonstrada em fatos sólidos.



2ª,
Meditação
Um grupo de neurocientistas foram visitar o Dalai Lama & Cia (Dalai Lama & Companhia! não Dalai Lama & CIA) em Dharamsala, Índia. Afim de saber de que forma a meditação pode expandir e fortalecer os circuitos cerebrais de uma pessoa.
Sendo que já foi comprovado que estímulos externos podem alterar a estrutura cerebral, a questão era saber se o poder interno de concentração também.

Os resultados (publicados na Academia Nacional de Ciência) foram incríveis.
Monjes com mais de 10.000 horas de experiências em meditação meditaram sobre idéias específicas, como a compaixão. Enquanto suas atividades cerebrais foram comparadas às pessoas inexperientes no assunto.
A diferença não só foi muitas vezes maior que comparado a pessoas inexperientes,
como foi simplesmente maior que qualquer registro em experiência similar!
As atividades de alta frequência chamadas de ondas gamma aumentaram dramaticamente durante o experimento, além de imagens de ressonância magnética documentando a atividade do córtex prefrontal esquerdo no cérebro dos participantes.
O experimento mental de fato sobrecarregou o córtex prefrontal direito, onde ansiedade e emoções negativas "moram".
O que traz a parecer que a disciplina deles aumentou o nível de consciência de uma forma bastante positiva.
Informações adicionais advindas da cientista Sara Lazar do
Massachusetts General Hospital e Harvard Medical School comprovaram que o córtex cerebral daqueles que praticam mais denso nos cérebros daqueles que praticam Meditações Buddhistas.





3ª,
Contato face a Face

Um tal de Edward M. Hallowell, de Hogwarts Harvard, em seu artigo "The Human Moment at Work" nos da uma idéia sobre como precisamos mesmo é de contato humano, ao vivo, face-a-face para ter nosso(s) cérebro(s) dando o máximo de si. Realmente, as informações que processamos num contato impessoal ou pela tela do computador simplesmente não se compara com os neurônios que fritamos quando estamos interpretando o rosto de alguém engajado em complexos conjuntos de habilidades usadas enquanto interagindo com alguém.
Pesquisas na Universidade de McGill mostraram como algo próximo de 2, 3 dias é mais que suficiente para uma pessoa "normal" começar a alucinar sem contato humano. (off: daqui a pouco vou testar isso, quando eufor fazer essa parada aqui)


4ª,
Sexo
bicho, mente relaxada e sem estresse expande limites. Da pra pensar em váários jeitos de ficar assim... música, diversão (≠entretenimento), caminhadas, exercícios, bom sono.. tudo isso sem contar com o bom e velho entraesai!
Durante o orgasmo, o hormônio oxitocina (‘o hormônio do amor...’) é liberado.
Essa parada traz uma sensação de confiança mútua, trazendo tanto um relaxamento quase-que-total e também apego emocional, a(o) parceir@.

Mas falando sobre a parte técnica dos benefícios que uma boa foda pode trazer, mais uma experiência maluca:
Pacientes com desordens altistas recebem doses desse tal hormônio (eu disse doses!! nenhuma enfermeira "deu" pras cobaias... digo, pacientes...).

Daí, a parada além de "consertar" (falando na linguagem dos psicólogos-que-morrendo-afogados-se-clamam-salva-vidas) certos aspectos de seus distúrbios, melhorou o desempenho do cérebro no geral, com destaque na parte de interação social (empatia, etc).
Principalmente, esse hormônio possibilitou um "acesso" melhor ao córtex prefrontal, lugar onde entre outras coisas, processa estímulos faciais.

Outra pesquisa interessante na área fala sobre o número de infecções por DST's (AIDS, sífilis, gonorréia...)! Mas ai, lembre-se de por a droga da camisinha! sobre isso, nem se precisa falar nada.



5ª,
Drogas
Não necessariamente as ilícitas. Eu falo das drogas de aumento de cognição. Várias têm sido desenvolvidas para resolver problemas patológicos relacionados, mas tem se mostrado tão benéficas também em cabeças saudáveis.
Pesquisas mostram que com o uso de Stavigile, mesmo pessoas privadas de dormir podem ter um desempenho mental melhor de alguém perfeitamente descansado. Ritalina, usado em desvio de atenção e hiperatividade, ganhou uso comum entre pessoas sem qualquer distúrbio de atenção pelo alto nível de concentração disponível pelo remédio.
A (maléfica) indústria farmacêutica vem desenvolvendo com velocidade uma longa lista de drogas de aumento no rendimento da memória. A maioria deles age nos receptores nicotínicos para excitar o cérebro ou o sistema cannabinoide evitando que a pessoa fique relaxada demais.
Há também outras drogas focadas na melhora da memória mas pesquisadores já prevêem obstáculos na área. Percebeu-se que essas drogas podem acionar memórias indesejadas (traumas, cagadas, flashbacks, etc.). As vezes, esquecer das coisas também é uma vantagem. Talvez por isso haja gente que diga que feliz é aquele com uma memória ruim, pois é o capaz de experimentar uma coisa boa pela primeira vez várias vezes, e por ser capaz de esquecer de suas dores com mais facilidade.


Links para esta postagem

2 x23 comentários: to “ quer um cerebro melhor?


  • 17/12/08 18:18  

    Não eram 5? ou vc foi fazer meditação malabaristica em algum bar lotadoe e desistiu de fazer os outros dois?


  • 19/12/08 00:08  

    ahauhauahauha
    esta em andamento!!

Related Posts with Thumbnails