1.11.08

A Batalha pela sua Mente  

3 x23 comentários

se você se acha um livre pensador, leia esse texto e pense de novo.



A Batalha pela sua Mente
Dick Sutphen

introdução

O nascimento da conversão religiosa/lavagem cerebral no Revivalismo Cristão em 1735. A explicação pavloviana das três fases cerebrais. Pregadores renascidos: passo a passo, como eles conduzem o reavivamento e os resultados fisiológicos esperados. A técnica de "voz ritmada" usada por pregadores, advogados e hipnotizadores. Novas igrejas do êxtase. Os seis passos para a conversão. O processo de decognição. Técnicas de parar o pensamento. A técnica "venda com fanatismo". Os verdadeiros crentes e os movimentos de massa. Técnicas de persuasão: "sim, sim", "comandos embutidos", "choque e confusão" e a "técnica intercalada". [Técnicas] subliminares. Vibrato e ondas ELF [freqüência extremamente baixa]. Indução ao transe com vibrações sonoras. Mesmo observadores profissionais serão "possuídos" nas assembléias carismáticas. A técnica "única esperança" para assistir e não ser convertido. Programação não-detetável com Neurofone, através da pele. O meio de controlar as massas.

Eu sou Dick Sutphen e esta fita é uma gravação de estúdio, uma versão expandida de uma conferência que fiz na Convenção do Congresso Mundial de Hipnotizadores Profissionais em Las Vegas, Nevada. Embora a fita traga um copyright para protegê-la de duplicações e vendas ilegais, neste caso, eu convido os indivíduos a fazer cópias e dá-las aos amigos ou qualquer pessoa em posição de divulgar esta informação * .

Embora eu tenha sido entrevistado acerca deste assunto em muitos locais, rádios e programas de entrevistas em TV, os meios de comunicação de massa parecem estar bloqueados, porque isto poderia resultar em desconfiança e investigações dos meios de divulgação e de seus patrocinadores. Algumas agências governamentais não querem que esta informação seja divulgada. Nem os movimentos de Novos Cristãos, os cultos, e mesmo muitos treinadores de potencial humano.

Cada uma das coisas que vou relatar apenas exporá a superfície do problema. Eu não sei como o abuso destas técnicas pode ser parado. Eu não penso que seja possível legislar contra algo que freqüentemente não pode ser detectado; e se os próprios legisladores estão usando estas técnicas, há pouca esperança de o governo usar leis assim. Sei que o primeiro passo para iniciar mudanças é gerar interesse. Neste caso, apenas um movimento subterrâneo poderia provocar isto.

Falando deste assunto, estou falando acerca de meu próprio negócio. Eu sei disto, e sei quão efetivo isto pode ser. Eu faço fitas de hipnose e [de técnicas] subliminares, e, em alguns de meus seminários, uso táticas de conversão com os participantes para torná-los independentes e auto-suficientes. Mas, sempre que uso estas técnicas, eu ressalto que estou usando-as, e todos podem escolher entre participar ou não. Eles também sabem qual será o resultado desejado.

Então, para começar, eu quero declarar o que é o fato mais básico de todos acerca de lavagem cerebral: EM TODA A HISTÓRIA DO HOMEM, NINGUÉM QUE TENHA SOFRIDO LAVAGEM CEREBRAL ACREDITARÁ OU ACEITARÁ QUE SOFREU TAL COISA. Todos aqueles que a sofreram, usualmente, defenderão apaixonadamente os seus manipuladores, clamando que simplesmente lhes foi "mostrada a luz"...ou que foram transformados de modo miraculoso.


na integra:

http://www.mortesubita.org/psico/textos/a-batalha-pela-sua-mente/view
ou
http://www.geocities.com/realidadebr/textos/batalha.htm
ou...

Links para esta postagem

3 x23 comentários: to “ A Batalha pela sua Mente


  • 3/11/08 00:57  

    Para 8.2 ciclos, eles sentiam um bem alto...um elevado sentimento, como se estivessem em uma poderosa meditação, aprendida à custa de muitos anos
    --------------

    interessante o texto. por sinal ciclos em 8 é a tradição em música de transes de curas xamânicas, por isso nas tribos africanas aquela caralhada de instrumentos de batidas! :D

    Já a idéia geral do camarada não passa pelos métodos que vc pode utilizar conscientemente no jogo.

    em arte marcial aprendi que se eu mudar minha respiração focando nos olhos do oponente, a respiração dele se desequilibra, mas inconscientemente, dai é um pulo para colocá-lo no estado mental de "uh! vou perder" e pronto, a luta inicia-se na respiração... afinal quando se está deprimido a respiração é de um modo, quando se está tranquilo, outro, quando se está raivoso outra... e por experiência minha, é bem possível, esvaziando a mente de pensamentos, geralmente buscando ouvir o coração, ou no início só sentir o mover dele, ao mesmo tempo que se torna a respiração suave e gentil, e quando se vê, a sensação ruim zarpou de vc.

    O q considero chato é que, como diz o mestre nan, o ganesh baba, o mestre chunyi lin, gurdjieff, entre outros, a respiração é um ótimo modo de contra-atacar qualquer sentimento ruim que aportar na gente, seja via elf, via conta de banco, via oq for.

    E sobre SOM como principio regulador de comportamento, isso nunca foi novidade, tipo, é novidade agora no ocidente contente, parece-me.

    No livro da música, de uns 100 anos antes de cristo, acho q de wou li (140-78 a.c), escreve-se como usar a música para deixar os governantes arrogantes via tonica, gong, agitada, ou como o uso de ré/chang torna oficiais do governo em depravados! :D :D E se o que dizem os chinas da alquimia musica, quando os cinco graus são agitados, o império está para ser destruido!! :D mó magia sonora! ops! não é q os cinco graus estão agitados no ocidente de hj! :D :D :D

    Pros chinas, música significa felicidade, e é, antes de tudo, modo de agir diretamente sobre o universo. Mas, pode também ser usada para fins menos bonitos. Ao meu ver o rock sem pentatônica de hoje em dia é algo conspiratório desarmônico, acusticamente falando, nada pessoal! :D :D

    o som afeta tudo, tem tratados musicais persas, com escala ASSIMÉTRICA, com terapias musicais com os modos variando pelo tipo de doença ou sintoma! genial ao meu ver! :D

    Agora, sobre o neo-platonismo sufi, foi mal ser chato tb, mas meu túnel é meio sem guarita ou guardas, então esses papos espaço-temporais relacionados à pineal não me parecem normais, mas meu túnel pode ter tido erros de calculo estrutura, logo... :D :D :D


  • 3/11/08 01:04  

    A pele contém mais sensores de calor, toque, dor, vibração e campos elétricos do que qualquer outra parte da anatomia humana.
    --------------
    pesquiso mais a alquimia chinesa nos orgãos internos e cérebro, mas esqueci da pele, o chi mais fácil de obter é oq fica SOB a pele! :D :D genial o insight aqui, pra mim, claro! :D :D esqueci de pesquisar os possiveis caminhos vibratórios de chi sob a pele e toda a caralhada de sensores que deve d ter lá!! :D :D :D


  • 3/11/08 11:05  

    E se o céu na terra significa não-pensamento e não-envolvimento, eu realmente pergunto por que nós estamos aqui.
    -----------------

    véio, reli o texto hj cedo. Beleza na exibição das técnicas de moldagem mental.

    Por outro lado, o estado beta é só normal no ocidental que acha que faz por si. não?

    O vazio da mente, no meu caso é algo que faço sozinho, sem grupos e talz, :D :D :D, é algo totalmente diferente, do descrito pelo texto, aqui, no meu caso!

    tipo, o estado ALFA :D não os deixa SIMPLESMENTE mais sugestionável, pois via respiração e mente vazia, isto é, totalmente vazia, vc começa a reagir as sutilezas que percebe. Quanto menor a auto-importância, melhor o jogo de "loucura controlada". vc tem objetivos, mas vc não liga se realiza-los. A relação com o próximo se torna mais completa, pois em alfa, e com a consciência no lugar certo, camarada, é estar drogadão de tudo e todos ao mesmo tempo.

    Sobre a crítica do autor ao nirvana, sei lá, véio, ele parece aqueles gregos que trocaram a suavidade de uma escultura dórica pela fisioculturismo de uma escultura helenística, saca? :D :D

    tipo, tirando o doidão do puharich, que, talvez, por ter trabalhado para a cia em pesquisas de manipulação mental, ou por ter sido o "tutor" do uri geller, etc, ele sacava, seja ELF, seja em artigos sobre transe indígena, que a diferença está no uso de energias eletromagnéticas, que seria o yang, que simbolicamente seria a quinta perfeita (que indo em direção a quarta perfeita gera ultra-som que por sua vez ao atingir um bagulho biológico, como seu corpo, transduz energia, tornando a ação eletromagnética (yang/ no caso musical, gerando ultrasom) em processo eletroquímico (ying/fluídos no corpo).

    Por outro lado, veja só, estamos tão acostumados a achar que nós, filhos da europa, pensamos do modo "natural" e respiramos e fisiologicamente funcionamos do modo "normal", que usamos isso como uma constante base, o qual utilizamos como a base sólida para analisar, não só o funcionamentoo do da mente e do corpo, como modo de classificar o comportamento indígena e oriental.

    Mas vejo, eu aqui! :D :D, que há uma séria falha nisso tudo, que é a não percepção de que, via, sendo mais "científico", BIOFOTONS, nós também emitimos um tico mínimo de energia eletromagnética, ou seja, minimamente, o corpo é um instrumento de influência.

    Dai reduzir tudo a meros jogos mentais de hipnotismo via sugestão, via manipulação, via tecnologia, é falho, pois, assim como no teste do ELF, e isso falo de minhas práticas RONIN em alquimia oriental, será que este corpo emissor de luz via biofótons, não pode utilizar-se como escudo a vibes alheias? ;) seja vibes hipnóticas ou vibes eletrônicas?

    Será que uma mente em alfa e com respiração inversa, e com altas doses de dopamina fluindo, não seja capaz de aumentar esse pulsar ultra-sônico e eletromagnético no corpo? o que ocorreria?

    Saca? do mesmo modo que as esculturas fisioculturistas do período helenístico deixam claro que para aquela geração de gregos tudo estava se tornando meramente físico e mecânico, como que para isolar e "libertar" a mente, o autor, parece-me, vai ao mesmo buraco que todo ocidente tende a ir: ignorar a sutilezas de ação de vibrações e pulsar eletromagnético, da pele, via nossos biofótons, e internamente via, principalmente os tímidos momentos de ultra-sons que geramos.

    Mas digo ignorar por, o autor mesmo dizer que não sabe como combater isso, pois ele ignora, se estudou xamanismo e transes de cura indígenas ou africanas, o processo inverso que ocorre no transe xamânico para cura, música em 8 ciclos por segundo e talz.

    Do mesmo modo, camarada, que é possível ser influenciado pelo que vier de fora, por exemplo, lembro de uma entrevista do jacques cousteau em que ele diz que em um simples dia, isso no início dos anos 90!, ele era "atacado" ao ir para rua, por em média 300 anúncios, tipo, somos bombardeados o tempo todo, não há como evitar, pois mesmo se não formos bombardeados pela cultura, se formos para o mato viver uga-buga, seremos bombardeado pelas percepções na natureza. ;)

    Assim, um indígena q aprende a viver em alfa, até pq perigos eminentes sempre há na selva, além de que como na selva não há muito a idéia do HORIZONTE, para lhe guiar, vc É obrigado, para se mover com desenvoltura, a aprender a sentir vibrações das coisas, a sentir e, se for sortudo, ver pulsos eletromagnéticos fluindo nas coisas, pá? pq isso? por sobrevivência, por necessidade do ambiente.

    Creio que esses diferenciais entre um ser em alfa numa cultura xamânica ou matrifocal e um ser em alfa na sociedade ocidental é algo válido.

    O alfa na mata é preciso para se fluir e sobreviver.

    O alfa na sociedade sedentária serve pro que o autor ai bem definiu, oras, pois nossa cultura ensina que vc não precisa fluir e sobreviver, pois se vc tiver um emprego, uma casa quadrada, uma esposa, quadrada ou redonda, depende do gosto, e um filho, o sistema, a "natureza civilizatória" cuidará de você! ;)

    ou seja, há uma grande diferença em aprender a usar o ALFA para fluir com as coisas, sem noção de auto-importância, apenas fluindo e fazendo o que deve ser feito, analises ficam para ocidentais, que separam o agir do sentir, logo se vc separar seu agir de seu sentir, como é que vai saber se pode ou não se guiar no momento de AÇÃO por forças que não percebe quando em beta-zumbi preguiçoso? :D :D

    saca? o texto é ótimo, mas ainda peca pela nossa mania, ocidental, ou humana?, ou sub-humana?, enfim, peca pela nossa mania de partir de que nosso estado fisiológico e psicológico é o estado BASE e NORMAL para todo ser, e a partir dessa certeza iniciar a análise do funcionamento de culturas que se moviam, comiam, pensavam diferente. Num vai muito longe esse tipo de pensamento, creio cá.

    no mais, pelo visto já polui muito seu espaço!! :D :D

    inté.

Related Posts with Thumbnails